Esquerda, que rumo tomar? Radicalização da luta, Greve Geral, Ocupa STF, Antecipações das eleições com Lula Livre e Candidato…

Pode-se afirmar que o Brasil atravessa a pior crise de sua história. O Golpe parlamentar midiático dado junto com o Supremo, dirigido pelo imperialismo norte americano está destruindo a Democracia e Soberania Nacional.

O Brasil que caminhava para ser uma potência soberana, democrática e popular sucumbiu ao neoliberalismo neocolonialista do PSDB-DEM-PMDB-PPS… com a entrega do Pré-Sal, Petrobrás… aos imperialistas e a prisão política do seu maior líder popular, presidente Luis Inácio Lula da Silva, sem nenhuma prova material de qualquer ilícito.

As lideranças de Esquerda titubeantes buscam enfrentar o imperialismo divididas em quatro candidaturas, Lula, Boulos, Manuela e Ciro. Vale recordar que o PT errou em fazer alianças com forças reacionárias e que melhor seria a Esquerda (PT, PCO, PSOL, PCdoB, PSB, PDT…) estarem unidas em torno do Lula num programa de redemocratização e soberania popular.

A Greve dos Caminhoneiros e dos Petroleiros se encaminhada como greve geral poderia ser o estopim da derrubada do Governo neocolonialista de Temer, Parente…. Para tanto, a Esquerda deveria estar unida em torno de objetivos estratégicos bem claros e definidos.

Lideranças da Esquerda equivocadas atuaram como bombeiros, temendo que a Radicalização e o Confronto com as forças direitistas desembocassem num Golpe no Golpe. Entretanto, as massas populares já não têm mais nada a perder, e estão dispostas a enfrentar as forças reacionárias. Destaca-se que 87% do povo apoiam a greve geral.

Portanto, o “timing” é agora, e as bandeiras de luta são:

1- Greve Geral para parar o Brasil; 2- Ocupação do STF; 3- Anulação do Golpe a presidente Dilma; 4- Antecipações das Eleições com Lula livre e candidato; 5- Retomada da Política para Petrobrás e Pré-Sal ao período Lula-Dilma; 6- Exigir que o STF respeite a Constituinte de 1988; 7- Anistia aos presos políticos.

Após a posse do novo presidente:

1- Referendum Revogatório; 2- Convocação de uma nova Constituinte Exclusiva; 2- Criação de uma Corte para julgar crimes contra a Soberania Nacional e o Estado Democrático de Direito; 3- Criação do mecanismos de Controle Social do Poder Judiciário, da Promotoria, da Polícia e da Mídia.